CNPq, CAPES e FAPERJ: instituições de fomento à pesquisa estão com editais abertos

As instituições de fomento à pesquisa Conselho Nacional de Desenvolvimento e Tecnológico (CNPq), Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (CAPES) e a Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado do Rio de Janeiro (FAPERJ) estão com diversos editais abertos para o desenvolvimento de pesquisas acadêmicas.

No CNPq, são 5 editais com inscrições abertas:

1 – Chamada Pública do Programa de Mestrado e Doutorado Acadêmico para Inovação – MAI/DAI, em busca de apoiar propostas de Instituições Científicas, Tecnológicas e de Inovação (ICTs) que demonstrem capacidade de execução e aderência às áreas de tecnologias prioritárias do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com inscrições até o dia 10 de julho de 2020;

2 – Chamada Pública para Empreendimentos e Soluções de Base Tecnológica na área de Grafeno, com inscrições até o dia 17 de julho de 2020;

3 – Chamada Pública para Bolsas de Produtividade em Pesquisa – PQ, destinadas a doutores ou livre docentes, com inscrições até o dia 31 de julho de 2020;

4 –  Chamada Pública para Bolsas de Produtividade em Pesquisa Sênior – PQ Sr, destinadas a doutores ou livre docentes, com inscrições até o dia 31 de julho de 2020;

5 – Chamada Pública para Bolsas de Produtividade em Desenvolvimento Tecnológico e Extensão Inovadora –  DT, destinadas a doutores ou com perfil tecnológico equivalente, com inscrições até o dia 31 de julho de 2020.

Pela CAPES, há 1 edital com inscrições abertas:

1 – Concurso de Dissertações e Teses sobre Defesa Nacional (CDTDN), que tenham sido aprovadas entre 01 de janeiro de 2018 e 31 de dezembro de 2019, em programas de pós-graduação integrantes da CAPES. As inscrições vão até o dia 07 de agosto de 2020.

Pela FAPERJ, 1 edital está com inscrições abertas:

1 – Chamada através de ação emergencial para projetos que visem o combate aos efeitos do covid-19, em parceria com o governo do Estado do Rio de Janeiro e a Secretaria de Estado de Saúde (SES). As chamadas são de fluxo contínuo, direcionadas à pesquisadores vinculados às Instituições de Ensino e Pesquisa no Estado do Rio de Janeiro, startups, micro, pequenas e médias empresas.

É importante ressaltar que a FAPERJ possui calendário anual de concessão de bolsas e auxílios, que pode ser consultado diretamente em seu site.

Fonte: Divulgação Interna (Proppi/UFF)

Faculdade de Educação da UFF realiza eventos virtuais

Como mais uma das iniciativas da Universidade Federal Fluminense de continuar promovendo o conhecimento científico durante a pandemia do novo coronavírus, a Faculdade de Educação da UFF promove o evento virtual “Em casa com a FEUFF”, realizado de 15 de junho a 31 de julho.

No evento, são oferecidas oficinas pedagógicas, bate-papos, conversas, minicursos e debates, em busca da promoção do conhecimento acadêmico e científico para a comunidade interna e, principalmente, externa à UFF, aliando temáticas já estudadas no cotidiano da Faculdade de Educação às novas dificuldades e problemáticas do isolamento social e da pandemia do Covid-19.

São abordados assuntos diversos, como música, no bate-papo “Musicalidades Antirracistas”; jogos, na oficina pedagógica “Jogos Estratégicos de Diferentes Culturas”; educação, no minicurso “A educação de jovens e adultos no estado do RJ em meio à pandemia”; inclusão, nos cine-debates “As facetas da inclusão”, além de muitos outros temas importantes e relevantes, sempre voltados para o incentivo ao pensamento reflexivo e problematizador da sociedade. 

Para participar das atividades é preciso realizar inscrição, pois as vagas são limitadas, tendo em vista a capacidade das plataformas digitais utilizadas para as transmissões e reuniões virtuais.

Através da página do evento, no Facebook, é possível ter acesso aos formulários de inscrição, temas e atividades de cada dia. Divulgue nas redes sociais e participe!

Fonte:Perfil do Facebook do evento Em casa com a FEUFF

Canais de comunicação entre a universidade e a sociedade: foco nas demandas das comunidades locais

Na dica de leitura da semana, trazemos o artigo “Canais de comunicação entre a universidade e a sociedade: foco nas demandas das comunidades locais”, escrito por Gisele Rosa de Oliveira e Wagner de Souza Leite Molina, recém-publicado na Revista Tecnologia & Sociedade.

A autora, Gisele Rosa, é mestre em Gestão de Organizações e Sistemas Públicos, pela Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), orientada pelo professor Dr. Wagner de Souza Leite Molina, que divide a autoria do artigo, e é doutor em Ciências Sociais, pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP).

No artigo, é levantada a discussão sobre a área dos Estudos Sociais da Ciência, e como a universidade vem construindo a sua agenda de pesquisa, ao longo dos tempos, levando em consideração o seu papel social fundamental de elencar os conhecimentos acadêmicos juntos aos conhecimentos locais e servir à sociedade. 

A partir de levantamento bibliográfico feito pelos autores, com palavras-chaves como universidade, tecnologia social, desenvolvimento territorial, agenda de pesquisa e extensão, foi possível levantar as questões que servem como base para a discussão do artigo, observando o tipo de produção realizada na universidade, a forma que o conhecimento é difundido e como esse conhecimento chega até a ponta: a sociedade.

O artigo levanta questões fundamentais para pensar na universidade que estamos construindo e queremos construir no futuro, e na importância de servir, de fato, como um local para a transformação social.

Para ler o texto na íntegra, basta acessá-lo no site da Revista Tecnologia & Sociedade ou clique aqui.

Fonte: Revista Tecnologia & Sociedade

Jogo educativo ensina crianças a se prevenirem contra o coronavírus

Desde o início da pandemia do novo coronavírus, o mundo começou a adotar novas medidas de higiene e cuidados, para prevenir novos contágios e minimizar os danos, ao mesmo tempo que tenta aprender mais sobre o comportamento do vírus, ainda novo. E se nós, adultos, ainda temos dúvidas em relação ao coronavírus, como explicar para as nossas crianças?

A Rede CoVida, através de seu grupo de comunicação, pensando nessas questões novas que precisamos aprender a lidar, criou um jogo de tabuleiro educativo para que adultos e crianças possam brincar e aprender em conjunto.

O tabuleiro é disponibilizado de forma online e gratuita, através do portal da Rede CoVida, onde incentivam que seja impresso para uma melhor experiência. É preciso usar um dado, para sortear o número de casas que devem ser percorridas, e objetos para representar cada pessoa que joga, que podem ser improvisados com materiais que você tenha em casa, como tampas de garrafas, grãos de comida ou o que a imaginação mandar.

Através de dados coletados do site do Ministério da Saúde, as ações do jogo foram montadas pela equipe da Rede CoVida, de forma a instruir as crianças e adultos às formas corretas de prevenção, caso seja necessário sair de casa para ir ao mercado ou à farmácia, por exemplo.

Você encontra informações sobre o jogo e o tabuleiro disponível para download no site da Rede CoVida, assim como muitas dicas para prevenção e cuidados diários.

Lembrando sempre: se puder, fique em casa, e ajude a salvar vidas!

Fonte: Portal da Rede CoVida

Grupo de Trabalho promove discussão sobre privação de liberdade

O “UFF nas Ruas” é um projeto de extensão universitária e de assessoria popular, que conta com diversos grupos de trabalho, abordando questões sobre trabalhadores ambulantes, familiares de pessoas presas, população LGBTQI+, religiões de matrizes africanas e moradia e pessoas em situação de rua.

Como iniciativa de um desses grupos, será realizado o webinário “Prisão, Direitos e Coronavírus”, que tratará de temas, como necropolítica, operações policiais, criminalização do funk, mídia, acesso à educação e saúde, voltados para o espectro da população negra, que continuam sendo os maiores alvos do sistema de justiça e das desigualdades exacerbadas pela pandemia.

As inscrições para recebimento de certificados, que contam como horas complementares, foram encerradas na transmissão inaugural, mas o acesso é aberto a todos, pois as transmissões são feitas pelo canal do grupo “UFF nas Ruas”, no Youtube.

Os encontros começaram no dia 10 de junho e acontecem até o dia 22 de julho, sendo promovidos debates a respeito dos temas, levantados por participantes dos grupos de trabalho e convidados. 

Discutir sobre o tratamento desigual do sistema de justiça e das instituições policiais em relação a população negra é fundamental. Toda a sociedade precisa ter ciência dessas questões, e a população branca, especialmente, precisa refletir sobre os seus privilégios e combater o racismo.

Fonte: Página do Instagram do UFF nas Ruas

Departamento de Segurança Pública promove debates científicos

O Departamento de Segurança Pública, da Universidade Federal Fluminense, através de seus grupos de pesquisa vinculados, convida a todos para participarem do projeto de extensão “Políticas Públicas e Segurança Pública em Debate”. 

Serão abordados temas que se relacionam às políticas públicas e à segurança pública, sendo divididos em 15 debates. O projeto começou na última quarta-feira, dia 10 de junho, e será realizado até o dia 16 de setembro. O formato utilizado é o de lives, transmitidas através do Youtube, todas as quartas-feiras, das 17 horas às 19 horas. 

Serão discutidos temas que se relacionam à música, controle penal, polícia, drogas, cidadania, tecnologias sociais, e muitos outros. Os debates serão conduzidos pelos professores do departamento, com vasta experiência em pesquisas acadêmicas realizadas nas áreas, e complementados por convidados.

Foram abertas inscrições para recebimento de certificação por horas. Com a alta procura, logo os números de vagas foram preenchidos, mas, tratando-se de uma transmissão via Youtube, o acesso é aberto a todo: basta ir até o canal do Núcleo de Estudos em Conflito e Sociedade  (NECSo) e assistir às transmissões ao vivo, que também ficam disponíveis para serem assistidas depois que encerram.

A segurança pública é um tema vastamente discutido e muito importante para o desenvolvimento da sociedade. Assista às lives e compartilhe, para ajudar na disseminação da ciência e do conhecimento científico desenvolvido nas universidades públicas.

Fonte: Página do Instagram do NECSo

A UFF quer saber: O que você anda fazendo?

A Pró-Reitoria de Graduação (Prograd), através da realização do Trote Cultural, lança a campanha “O que você anda fazendo?”, com o objetivo de dar visibilidade às ações positivas que estão sendo realizadas pelos seus estudantes de graduação, durante o período de isolamento social. 

Você pode participar enviando um vídeo de até 30 segundos, filmado na posição vertical, obedecendo ao roteiro de se apresentar primeiro, falando seu nome, curso e localidade, para depois contar sobre o que tem feito durante esse período. Pode ser uma receita que testou, uma banda que tem escutado, uma nova habilidade que está desenvolvendo, dicas de livros que tem lido, ações de solidariedade, entre muitas outras coisas, que também podem servir como dicas para outros alunos lidarem com a pandemia.

Para participar, é preciso se inscrever até o dia 15 de junho, através do email disponibilizado para a campanha (comunicacao.eventos2@gmail.com), pelo qual deve enviar o vídeo em anexo e informar, por escrito, o seu nome completo, localidade e curso, e declarar, ao final da mensagem, que aceita que seu vídeo possa ser editado pela equipe do projeto Trote Cultural.

Os vídeos serão veiculados pelo IGTV da UFF e pelas demais mídias sociais da universidade. Participe!

Fonte: Portal da UFF

A importância da cultura avaliativa para as políticas públicas

Estão abertas as inscrições para o seminário “Importância da cultura avaliativa na implantação, nos resultados e na transparência das políticas públicas”, que será realizado no dia 03 de junho, às 10 horas, e transmitido online através da plataforma Google Meet.

Realizando a inscrição pelo site, será possível entender mais sobre o tema, proposto pela Logos Consultoria e a Prefeitura Municipal de Niterói, através do Observatório de Segurança, em uma mesa redonda com especialistas em avaliação de políticas públicas. O encontro virtual conta com a participação do professor Dr. Daniel Misse, do Departamento de Segurança Pública da UFF; Taiana Jung, mestre em Estudos Populacionais, diretora da Logos Consultoria; Luciano dos Santos, Estatístico, responsável técnico no Observatório de Segurança; e Dr. Vitor Azevedo, Economista.

O seminário faz parte da programação da Semana de Avaliação gLOCAL, realizada do dia 1º de junho ao dia 5 de junho, como uma iniciativa que proporciona um espaço de compartilhamento de conhecimentos em avaliação e networking, com eventos sendo realizados em todo o mundo e abertos ao público gratuitamente.

A partir do reconhecimento de duas forças, derivadas do conhecimento global e das práticas locais, surge a inspiração para a realização do evento, de forma a tentar compreender como o conhecimento ao redor do mundo pode influenciar na forma que avaliamos localmente, e em como as experiências locais podem influenciar o pensamento avaliativo global.

A realização desse evento faz parte dos esforços realizados pelo CLEAR, um programa global de monitoramento e avaliação, que une instituições acadêmicas e parceiros doadores para promover a coleção, medição, análise e uso de evidências robustas em políticas e tomadas de decisão de países em desenvolvimento.

Será uma semana inteira com seminários e exposições de especialistas e instituições de todo o mundo, tratando sobre temas relacionados à avaliação. Através do site, é possível ter acesso ao cronograma completo do evento.

Fonte: gLOCAL Evaluation Week

Pílulas de Humanidades em tempos de isolamento social

Desde março temos vivido de uma forma diferente, como essa geração ainda não havia experimentado. Fomos obrigados a nos isolar e a ficar em casa, para o bem da saúde pública e da sociedade, que vive agora em um novo mundo, devido à pandemia do coronavírus. Muitas notícias e conversas se voltam quase que exclusivamente para o tema, mas não podemos esquecer que há outras coisas que continuam a acontecer no mundo. As “Pílulas de Humanidades” servem muito bem a esse propósito.

A partir da ação do Departamento de Educação e Humanidades (DEH) da Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre (UFCSPA), é criada a seção “Pílulas da Humanidade” em seu site. Se usamos pílulas, em forma de remédios, para tratar de sintomas e curar doenças, por quê não usar também para auxiliar a nossa saúde mental?

Desde abril, o departamento vem “receitando” suas pílulas à humanidade, que já somam 34. Através delas, oferecem dicas de livros, programas de humor, podcasts, filmes, quadrinhos, perfis do Facebook, até mesmo curso de grego, com uma linguagem fácil, acessível e muito bem humorada, construída pelos professores e professoras do departamento, que dão as dicas.

Observando as dicas é realmente possível desligar-se um pouco da enxurrada de informações somente sobre o coronavírus e se ligar a tudo que a humanidade pode nos oferecer. Além das pílulas, é possível encontrar muito conhecimento sendo produzido na academia, o que demonstra a importância de se valorizar a universidade pública e a ciência, especialmente em tempos atípicos como os atuais. 

Para acessar a todo o conteúdo da UFCSPA, é só entrar no site da universidade, e chegar à Central de Informações Coronavírus, ou seguir direto por aqui.   

Fonte: Portal da UFCSPA

Antropo… o que? Aprenda mais sobre o mundo da Antropologia com o Podcast Mundaréu

Muito se ouve falar da Antropologia, mas poucos conhecem, de fato, o que essa área do conhecimento aborda em seus estudos. O podcast Mundaréu, fruto de parceria entre o Laboratório de Estudos Avançados de Jornalismo (LABJOR), da Unicamp, e o Departamento de Antropologia, da Universidade de Brasília (UnB), tem a proposta de descomplicar essa ciência, contando um pouco sobre a vida dos profissionais da área e o que antropólogos fazem.

Para além de contar histórias, o podcast Mundaréu funciona também como um divulgador científico, pois através de episódios de 35 minutos, em média, fala das vivências dos pesquisadores com seus objetos de pesquisa, destacando questões relevantes para a pesquisa acadêmica e para o mundo da Antropologia.

São lançados episódios mensalmente, cada um versando sobre uma temática diferente do mundo da Antropologia. Os episódios contam as trajetórias de pesquisas de sua equipe, levantando as dificuldades de fazer pesquisa de campo, os cuidados éticos e estratégias de metodologia necessárias, passando pelos temas de saúde, sexualidade, gênero, espiritualidade, vida no campo, comunidades indígenas, violência em comunidades, entre muitos outros assuntos.

Para conhecer o trabalho feito pela equipe e ouvir as histórias do Mundaréu, você pode encontrar o podcast em diversas plataformas, através do site próprio, Spotify, Google Podcasts e Apple Podcasts

Fonte: Mundaréu

Copyright 2020 - STI - Todos os direitos reservados

Translate »